Como falar sobre política? Um assunto para levar à sério.

Na imagem, o vereador André Carvalho está conversando com um cidadão sobre políticas públicas
Ser uma liderança política exige mais do que se pensa. Entenda mais sobre esse assunto num ângulo diferente.

compartilhe

Não é preciso ser altamente engajado para entender uma coisa: a forma de fazer política precisa ser renovada continuamente. No cenário atual, alguns eleitos já estão cumprindo esse papel com práticas mais transparentes e representativas. Dessa mesma remessa é que vem o vereador André Carvalho.  Na quinta-feira 30 de março de 2023 ele e foi até Caruaru para conversar com a Rádio Cidade sobre como fazer uma política diferente.

O entrevistador, Marco Aurélio, já estabeleceu um cenário interessante desde sua primeira pergunta primeira pergunta: como é fazer política numa região polarizada? André sorri e bem humorado agradece o convite da rádio antes de responder que ” é complicado trabalhar com política na Zona da Mata”.

Ele explica uma das dificuldades como a polarização histórica que existe em Vitória de Santo Antão: o Vermelho versus Amarelo. E essa disputa entre partidos com ideologias opostas acabam por criar um cenário, muitas vezes, desprovido de debate construtivo.

E continua, dessa vez com um tom esperançoso ” Mas a gente está nesse projeto há cerca de 10 anos. Comecei lá atrás, assim que terminei a graduação: quando comecei a me envolver a discussão política o Município”. O vereador é graduado em Publicidade e Propaganda pela Universidade Federal de Pernambuco, mesma instituição onde concluiu seu mestrado, doutorado e realiza, atualmente, o curso de Ciência Política.

Diferente da maioria, ele conta que, no início, não tinha desejo em ser politico e ainda brinca com a história de seu início no meio: ” Foi meio que assim: a gente tinha um grupo, eu estava ali. Então alguém disse: “Quem quer ser candidato a vereador? todo mundo deu um passo para trás e eu não vi, fiquei.  Acabei sendo”. O apresentador responde com risadas e não perde tempo em soltar a próxima pergunta.

Apesar de jovem, você tem um caminho acadêmico. E, muitas vezes, quem segue por esse caminho de pesquisa, é muito comum se tornar professor universitário. Porém, sair dali para a política não é um caminho tão fácil, nem tão aberto assim. Quais foram as dificuldades que você enfrentou, enquanto jovem? Sabemos que, no início, a falta de apoio e recursos, por exemplo, são um desafio. Como é que foi essa trajetória?

O pedetista responde que ‘Foi complicado, também, porque quando a gente está estudando, se debruçando sobre os livros… E eu fiz a graduação, mestrado, estudei fora do país… Tive a oportunidade de fazer uma parte do meu doutorado na Espanha, num projeto chamado Sanduíche, do Governo Federal. E aí, quando você se debruça sobre os livros, para fazer o caminho de volta, para aquilo que é o propósito da política é muito complicado”.

“Porque a realidade das pessoas no dia a dia, as dificuldades e a necessidade de você propor melhorias é de uma forma tão complexa que, muitas vezes, um político pragmático ele é muito mais sabido do que um acadêmico”. Entendemos, com isso, que o conhecimento acadêmico não é, necessariamente, a fórmula de entender a real necessidade de um povo, para isso é preciso mais: empatia e olhar do outro. Esses são pontos importantes para se transformar a política.

Ele conta, ainda, que foi difícil, mas sentiu que deveria fazer isso. Sua trajetória, até hoje, faz parte de uma realidade onde existe conciliação entre corresponder ao que a cidade precisa e não faltar com os seus estudos, porque ainda não deixou de ser estudante. Muito pelo contrário, parte dos conhecimentos aprendidos no curso de Ciência Política só acrescentam no seu mandato.

Como fazer uma política honesta e de liderança?

No jogo eleitoral, para se vencer uma eleição da forma mais fácil é preciso de dinheiro. Existem casos de candidatos que se deixam levar pela ganância do poder e focam unicamente no dinheiro, afim de conseguir alcance, mídias pagas, produção de excelentes chamadas entre outros serviços determinantes. Porém, existem estratégias que ainda acreditam no trabalho de formiguinha.  Aquela que chega no público certo de um jeito orgânico e mais honesto possível.

Quando a campanha está bem estruturada e com dinheiro limpo, essa é uma forma de nadar contra a maré dos que  a financiam através de favores políticos ou apadrinhamento.  Ao contrário disso, durante as eleições de 2020 para Prefeito e Vereadores, André Carvalho era anunciado como o vereador mais votado do PDT, em Pernambuco e o mais bem votado da cidade de Vitória de Santo Antão. Tudo isso gastando quase nada. Financiado através de uma vaquinha online que divulgou nas suas redes sociais.

Para chegar à um bom resultado é preciso planejamento. Por isso, André foi convidado para palestrar sobre como a comunicação política deve ser levada à sério antes e durante o mandato. Essa é uma parte central que orienta a forma como a confiança é construída com a população.

A fala foi feita no Congresso Estadual de Vereadores(as) e Servidores (as) de Câmaras Municipais e Prefeituras, onde André dividiu com os presentes uma de suas várias lições aprendidas durante a vida política: como se tornar um líder em sua comunidade.

Já foi citado anteriormente que a  vida do Vereador sempre esteve ligada aos estudos e, por isso, a causa dos estudantes era sua também. Longe de ser apenas uma frase de efeito. Era uma causa dele, porque o mesmo dependia desse transporte para ir e voltar da faculdade.

Usando sua visão crítica e vendo que a quantidade e condições dos ônibus eram baixas, ele começou a reunir os alunos, que compartilhavam do mesmo sentimento, para se manifestarem lutando por melhorias. Junto com eles, organizou protestos e intervenções para chamar a atenção da Prefeitura, afim de sensibilizar o prefeito da época.

Esse movimento ganhou força e nome: Regula Busão. André liderou a inciativa junto com outros estudantes e conseguiram resultados positivos. Ali ele entendeu a importância de trabalhar a liderança em benefício de um coletivo.

Isso refletiu muito na sua forma de lidar com a comunicação política. “Porque você pode ter a melhor estratégia de comunicação do mundo, mas se você não for uma liderança, se não tiver a capacidade de diálogo, a capacidade política de reconhecer prioridades, de negociar conflitos, de como se portar nas instituições e fora delas… Isso é uma coisa, minha gente, que não tem graduação. Ou se aprende no dia a dia político ou não aprende”. Afirma o pedetista.

Assista o conteúdo completo e entenda como é fazer política na prática. Precisamos, cada vez mais, ser parte desse movimento, pois ele influencia diretamente nossas vidas. Precisamos de mais representatividade e não subrepresentações. Você pode ser o candidato ou candidata que te representa e, assim, empoderar varias outras pessoas com sua trajetória.

ASCOM

ASCOM

Assessoria de comunicação do Vereador de Vitória de Santo Antão, André Carvalho.

Posts Mais Recentes