Reportagens revelam periferia esquecida pela prefeitura em Vitória-PE

Morador com os pés na lama no Loteamento de Bau falando sobre a periferia ser esquecida pela prefeitura
Série de reportagens realizadas pelo vereador André Carvalho revela como a Prefeitura está esquecendo das periferias da cidade. Veja depoimentos dos próprios moradores.

compartilhe

O vereador André Carvalho está realizando uma série de visitas por diversos bairros da periferia afastados do centro na cidade de Vitória de Antão. A intenção dele é ouvir dos moradores quais as maiores dificuldades enfrentadas e, logo após de registrar a situação, fazer cobranças por melhorias através de requerimentos oficiais enviados à prefeitura.

Um grande circuito já foi percorrido e documentado. Nesse percurso o ponto mais repetido pelos cidadãos é de que eles se sentem esquecidos. Andando pelos bairros afastados do centro é possível perceber a grande falta de serviços básicos que são de direito da comunidade.

Veja lista de 9 regiões da cidade que precisam de uma atenção do Prefeito:

  1. Sítio do Ôca
  2. Posto de Lagoa Redonda
  3. Cacimba
  4. Loteamento José de Lemos
  5. Loteamento Luiz Gonzaga
  6. Pirituba
  7. Lídia e Sítio do Meio
  8. Loteamento de Bau

 

Na imagem, o vereador André Carvalho está retirando uma macaxeira da terra junto à dois moradores do Sítio Oca

  • Sítio Oca:

 

    • Lagoa Redonda

  • Engenho Cacimbas na Zona Rural

 

  • Loteamento José de Lemos

  • Loteamento Luiz Gonzaga

  • Pirituba

  • Lídia e Sítio do Meio

Na imagem, rua sem calçamento no loteamento de Bau em Vitória de Santo Antão

  •  Loteamento de  Bau

A periferia precisa de atenção

Cobrar melhorias para as comunidades visitadas e registradas em vídeos não implica somente postar e expor o caso na internet. É preciso realizar uma mobilização inteligente que envolva o vereador e sua equipe, principalmente o jurídico e a ouvidoria. Isso junto com os moradores afim de criar requerimentos e projetos de lei para cobrar a prefeitura um impacto positivo no dia a dia dos moradores.

Vitória de Santo Antão tem mais de 17 obras em aberto e muitas dessas estão atrasadas, sem placa e informação a respeito do projeto que será realizado. Essa é uma atitude que enfraquece o poder da fiscalização, pois os dados e informações  a respeito de órgãos públicos devem ser divulgados com o máximo de transparência possível.

Uma proposta que se coloca contrária a essa onda de obras focadas na região central da cidade é a ideia de um orçamento participativo. Resumidamente, o poder executivo municipal junta-se aos cidadãos com a ideia de ouvir onde eles acham que deve ser aplicado o próximo investimento. Isso faz com que o governo municipal potencialize sua capacidade de diálogo com a população e reforce  democracia.

Moradora do Loteamento de Bau fala para André Carvalho sobre a falta de calçamento, lamaçal e esquecimento da periferia por parte da prefeitura

Em tempo de chuva, moradores do Loteamento de Bau andam com os pés na lama.

O Loteamento de Bau fica localizado próximo ao bairro Bela Vista, mas, diferente deste, a situação das ruas não é nada parecida. Asfalto e calçadas pavimentadas  não fazem parte da realidade do Loteamento. Ao contrário disso, muita lama, falta calçamentos e acessibilidade para os moradores montam um cenário de descaso por parte da Prefeitura.

A mobilidade urbana no local se mostra altamente difícil, fazendo com que uma simples ida ao centro da cidade para fazer compras, a exemplo, se torne difícil. O local onde o ônibus faz a parada é distante da casa dos moradores.

Além disso, é notável a falta de comércio local dentro do Loteamento, o que dificulta a vida dos moradores que tem de se locomover até o centro ou outro bairro mais próximo para conseguir fazer compras como comida e outras necessidades.

“A gente precisa de prefeito pra tomar providência disso aqui, porque a gente não pode ser jogada não” afirma uma das moradoras em conversa com o vereador André Carvalho. A sensação é de descaso e esquecimento, pois a falta de calçamento no local é um ponto decisivo para a qualidade de vida de quem mora no Loteamento de Bau.

A Prefeitura precisa se preocupar mais com a periferia e entender quais as urgências do povo. Imagine uma realidade onde essas ruas não fossem dominadas pela lama, onde os moradores pudessem andar sem sujar os pés e passar por grandes transtornos. Vejam um exemplo de como a implantação de uma linha asfáltica transformaria o dia a dia dessas pessoas.

Na imagem, foi projetada uma ilustração de um asfalto sobre uma rua sem calçamento e enlameada no Loteamento de Bau
A falta de postes de iluminação é um outro problema que anda afetando a locomoção dos moradores. Sem luz, andar pelas ruas à noite se torna inviável e perigoso. Como ficam aqueles que precisam sair para trabalhar ou ter momentos de lazer mesmo depois que cai a luz do sol? A população não pode depender da luz do solar para sair ou não de casa e mais: iluminação nas ruas é um direito que deve ser garantido.

Uma situação parecida se repete em outros bairros da cidade. A ouvidoria de André recebe muitos  registros onde os moradores de  diversas periferias relatam a falta de saneamento básico, iluminação, coleta de lixo entre outros direitos que devem ser garantidos.

Um desses casos foi o de Bairro Nobre. Localizado um pouco distante do centro da cidade, ele chamou atenção pela mobilização dos moradores afim de resolver um problema que afeta a todos: a falta de iluminação, entre outros. Um deles chega a  dizer que essa foi a primeira vez em que se sentiram ouvidos.

Segundo a professora Kassandra Benevides, a acessibilidade nas ruas é um dos pontos que precisam ser melhorados, pois quem é cadeirante ou idoso com mobilidade reduzida apresenta uma grande dificuldade de circular pela região.

Os buracos somados à falta de calçadas, rampas e outros elementos necessários tornam a rua, que deveria ser um lugar de todos, mais um ferramenta de exclusão social. Assim como as pessoas, os automóveis circulam com dificuldades no local.

Foi dito que a partir das seis horas da noite a maior parte dos motoristas de aplicativos de corrida chegam a cancelar ou nem aceitarem a solicitação. Segundo relato de moradores um entregador de remédios foi assaltado nas imediações.

Periferia unida e mobilizada

O caso de Bairro Nobre terminou na prefeitura, onde os moradores se reuniram afim de conversar com a secretaria de Infraestrutura e Controle Urbano.  Depois do encontro, parte dos problemas foi resolvida. A secretaria enviou funcionários até o local e instalou pontos de luz em algumas áreas que antes estavam sem iluminação. As providências foram tomadas logo depois da visita de André e da mobilização dos moradores.

Isso mostra a força de uma comunidade unida e com propósito. A política está presente em todas as partes da nossa vida e ela influencia o nosso cotidiano de diversas formas. Por isso, é preciso conscientizar a população da importância que tem o engajamento com as questões da nossa rua, do nosso bairro, cidade, estado, país e assim por diante. É preciso pensar e agir com estratégia. A comunidade de Bairro Nobre deixou um grande exemplo.

Outro caso de mobilização entre moradores que serve de inspiração aconteceu não em Vitória, mas em Belo Horizonte, no bairro Jardim América na região Oeste. Em 2014 os moradores se revoltaram com a ameaça de uma área verde que há anos beneficiava a população.

A empresa MASB Empreendimento Imobiliário Ltda conseguiu licença p/ construir um empreendimento de grande estrutura no espaço. Os moradores, então,  foram atrás de providências para que as intervenções não fossem iniciadas pois, além de árvores nativas, o terreno, que mede 21 mil m² de extensão, possui outras riquezas para o meio ambiente como algumas espécies de aves e mico.

A Associação dos Moradores não se fazia contrária a construção em si, mas ao lugar escolhido. É relatado que existiam outros terrenos adequados para a implantação do projeto: um grande condomínio. O Plano Diretor de Belo Horizonte considera a região como área de Preservação Ambiental (PA1), mas ainda assim uma possível licença  poderia ser concedida à empresa para que ela construísse seu projeto no local.

A mobilização contra a realização dos planos da MASB na única área verde de Jardim América teve uma participação expressiva de várias pessoas que também se indignaram com a possibilidade de 465 árvores serem destruídas. Um abaixo assinado foi organizado e alcançou a assinatura de 36.680 o que prova uma grande comoção das pessoas em defesa do meio ambiente.

Por isso, é importante prestarmos atenção à nossa volta e entender o que precisa ser feito para transformar. Nossa participação coletiva é poderosa e chega longe. Vá para a página principal desse site e deixe seu melhor e-mail para acompanhar todos os nossos posts e engajar com a gente nessa luta. Vitória de Santo Antão precisa de você.

ASCOM

ASCOM

Assessoria de comunicação do Vereador de Vitória de Santo Antão, André Carvalho.

Posts Mais Recentes