A jornalista Edilamar Galvão inicia a sabatina, do Estadão, realizada no dia 21/09, perguntando ao Ciro Gomes sobre a questão do "Voto Útil".

"A gente conversava antes, nos bastidores, a respeito das pesquisas de intenção de voto e, também, da estratégia da candidatura do Lula de tentar apostar no voto que eles consideram o voto útil e de tentar converter os votos do senhor e da Simone Tebet. 

"Numa tentativa de levar a eleição somente no primeiro turno. Eles acabaram convencendo uma parcela de apoiadores históricos do senhor.".

E continua...

Ela cita como exemplo, o cantor Caetano Veloso que declarou voto em Lula, mesmo adorando Ciro Gomes. 

Logo após, a jornalista pede que o candidato comente o quanto isso representa um desafio para ele nesses últimos dez dias de campanha.

"Isso é um fascismo de esquerda no Brasil. O Brasil é liderado pelo PT. Eles estão querendo simplificar de uma forma absolutamente dramática o debate. 

E querem nada mais, nada menos do que aniquilar as alternativas. Isto é uma tragédia no país como o Brasil.

É o voto do Tico Santa Cruz, Caetano Veloso… Que são boas pessoas, mas todos estão com a vida ganha.  Quem tá preocupado com o dia seguinte é quem não tem plano de saúde, não tem como pagar mensalidade escolar,  quem está submetido ao terrorismo das facções criminosas nas periferias…". 

Afirma Ciro Gomes, candidato à presidência do Brasil pelo partido PDT. Entende-se que voto útil deve ser aquele a favor da democracia e de um plano de governo efetivo, como defende o candidato pedetista. 

Conheça André Carvalho, candidato à deputado estadual apoiado por Ciro Gomes